A Arte de Resolver Problemas

Como resolver um problema? Essa foi a pergunta que George Pólya, um matemático húngaro, tentou responder por toda a sua vida. É claro que não há uma única resposta, que funcione em todos os casos, mas o trabalho de Pólya traz muitas idéias importantes sobre esse tema.

Pólya foi um grande matemático, mas a matemática demorou a aparecer em sua vida. Iniciou os estudos em direito, mudou seu foco para biologia e, finalmente, formou-se em letras. Ainda insatisfeito, começou a estudar Filosofia. Por sugestão de um professor, que notou em Pólya uma grande habilidade de pensamento lógico, começou a estudar matemática e não parou mais. Em 1912, com 25 anos, terminou seu doutorado em matemática pela Universidade de Budapest.

Desde cedo, Pólya interessou-se pelos métodos de solução de problemas. Acreditava em abordagens melhores que a simples memorização, usada pela maioria de seus professores. Começou então a registrar o seu próprio processo de solução de problemas.

Desse registro resultou o livro "How to solve it" (ou "A Arte de Resolver Problemas", em português) em que Pólya descreve uma série de heurísticas, ou seja, estratégias práticas que auxiliam na solução de problemas. O livro foi um enorme sucesso, tornando-se um dos maiores "best-sellers" da matemática, com mais de um milhão de cópias vendidas.

Para solucionar um problema, segundo Pólya, busque exemplos concretos e tente identificar padrões. Se um problema é muito difícil, tente resolver uma versão mais simples do mesmo problema e então observe como o problema foi resolvido. Ele acreditava que o processo de solução era mais importante que a solução. Pólya ensinava seus alunos a experimentar, a descobrir. "É melhor resolver um problema de cinco formas diferentes do que resolver cinco problemas diferentes."

Capa da primeira edição (1945)

Capa da primeira edição (1945)