Revista Crescer: 6 dicas para ajudar seu filho a perder o medo de matemática

A Revista Crescer fez uma matéria sobre a ansiedade matemática, que crianças cada vez mais novas começam a ter. Ligia Zorzo, nossa co-fundadora, contou sobre o ambiente seguro que criamos na Roda, onde as crianças podem se arriscar e saber que o erro é nosso amigo. A seguir um trecho da matéria:

6 dicas para ajudar seu filho a perder o medo de matemática

Por Aline Dini - 01/04/2019

Seu filho fica apavorado só de pensar no dia da prova de matemática? Certamente ele não está sozinho. Um estudo feito com 2.700 crianças inglesas e italianas, de até seis anos, publicado no ano passado pelo Centro de Neurociência em Educação da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, mostrou que até mesmo os alunos com boa capacidade para a matemática apresentavam comportamentos de ansiedade no período de testes. Medo, raiva e até desespero caracterizam a chamada “ansiedade matemática”, que influencia diretamente nas emoções e na capacidade de desenvolvimento da criança em relação à disciplina.

E o pior é que isso cria um círculo vicioso, em que quanto mais ansiosa a criança fica, pior é sua capacidade com os números. Foi pensando em como tornar a disciplina mais atraente para os próprios filhos, Clara, 8, e André, 6, que a coordenadora pedagógica Ligia Zorzo, se tornou co-fundadora da Roda de Matemática. A proposta do método é que o professor se reúna com crianças de 5 a 12 anos em pequenos círculos para discutir desafios matemáticos diversos. “A ideia dos círculos é possibilitar que essas crianças experimentem um ambiente mais científico para explorar. O professor troca seu papel de ensinante pelo de provocador e observador ativo. Os erros são encarados como parte importante do processo e o aluno não é valorizado pela velocidade da resposta. Valorizamos o processo e não as respostas”, conta.

Leia aqui a matéria completa.

Aprender matemática é estar pronto para o futuro, seja ele qual for!

A Matemática é muito mais que seguir procedimentos, é saber pensar, é estar pronto para o futuro, seja ele qual for!
Se pudermos ensinar as crianças a amar desafios, elas terão mais segurança no caminho escolar e na vida. Aqui na Roda de Matemática, essa habilidade é trabalhada num ambiente criativo, onde cada ideia é ouvida, onde é seguro se arriscar.
Nesses três anos, percebemos que neste ambiente, as crianças rapidamente mudam sua postura perante problemas desafiadores e melhor, levam isso para outras áreas de suas vidas. Vem amar a matemática com a gente!

Karen Uhlenbeck é a primeira mulher a ganhar o Abel Prize

O Abel Prize, muitas vezes comparado ao Prêmio Nobel, juntamente com a Medalha Fields, é uma das maiores honrarias da matemática. Essa condecoração foi concedida este ano, pela primeira vez, a uma mulher.

A Academia Norueguesa de Ciências e Letras decidiu premiar Karen, da Universidade do Texas, em Austin, EUA pelo o enorme impacto de seu trabalho em análise, geometria e física matemática.

Além de grande matemática, Karen é um modelo de inspiração e uma ativa defensora da igualdade de gênero na ciência e na matemática. Ela também é uma das fundadoras do programa Women and Mathematics (WAM), criado em 1993 no Instituto de Estudos Avançados em Princeton, para recrutar e capacitar mulheres para a pesquisa matemática.

Karen-Uhlenbeck-Abel-Prize-2019.jpg

Cubocta: nosso presente de 2018!

Hoje tivemos a última aula de 2018 na Roda de Matemática! Foi um ano cheio de alegrias e descobertas matemáticas. Como presente de fim de ano, cada um de nossos alunos ganhou um cuboctaedro!

O cuboctaedro é um sólido geométrico intermediário entre o cubo e o octaedro, formado por seis faces quadradas e oito faces triangulares. Quando montado com conexões flexíveis o cuboctaedro pode se transformar em diversas outras formas, que aguçam a imaginação.

O vídeo abaixo mostra algumas das possíveis transformações do cuboctaedro. Quem descobrir mais alguma, traz pra gente ver no ano que vem ;-)

Ótimas férias e até breve!

Poesia do cuboctaedro

Eu sou o Cubocta,

tenho múltiplas formas.

Existo para ser tocado,

Animado, transformado,

e até... interpretado. 

Confesso que sou meio cubo,

meio octaedro, mas... 

não tenho nada de complicado. 

É você que me dá sentido 

Você me faz criativo! 

Basta você mexer comigo, 

com um jeitinho bem distraído.

Lima do Valle

Kubos Investigações

Roda de Matemática ensina crianças a amar a disciplina

Ficamos muito felizes e orgulhosos pelo reconhecimento que o IMPA fez do trabalho da Roda de Matemática! O IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada) é o mais importante centro de pesquisa matemática do país e um centro de pós gradução de excelência internacional. A seguir um pouquinho da matéria:

Roda de Matemática ensina crianças a amar a disciplina

O lema de que é mais fácil aprender brincando vale para tudo na vida, até mesmo para a Matemática. Baseado neste pensamento, Gustavo Aleixo, Ligia Zorzo e Janaina Villela criaram há dois anos, em São Paulo (SP), a Roda de Matemática, escola para crianças de 5 a 12 anos, cujo objetivo é ensinar a amar a Matemática e construir com ela uma relação positiva.

Inspirada nos círculos matemáticos do Leste Europeu, onde havia encontros entre renomados matemáticos com jovens estudantes para troca de conhecimentos, a escola tem o formato um pouco diferente.

Leia a matéria completa aqui.

roda-de-matematica-materia-impa.jpg

Cinco jogos incríveis que valem por uma aula de matemática!

1. Hex: jogo inventado pelo matemático John Nash (ganhador do prêmio Nobel, retratado no filme “Uma mente brilhante"). É um jogo com regras muito simples e com enormes possibilidades de estratégias. São dois jogadores que tentam conectar lados opostos do tabuleiro. No tabuleiro original, esse jogo nunca termina empatado (resultado provado matematicamente pelo próprio Nash.

2. Rat-a-tat Cat: esse é um dos nossos jogos preferidos! Ganhador do Mensa Select Award, esse jogo envolve números, probabilidades, tomada de decisão sob incerteza e memória num contexto divertido. O objetivo é livrar-se dos ratos e ficar com os gatos, buscando a mínima soma dos números das suas quarto cartas. O jogo pode ser disputado em grupos de até 6 participantes (a partir de 6 anos), ótimo para jogar em família! Se quiser as regras em português, escreve pra gente!

3. Hora do Rush: neste desafio lógico, você tem que abrir caminho para que o carrinho vermelho escape do congestionamento. O jogo traz vários desafios ordenados em 4 níveis de dificuldade. Isso permite que crianças de várias idades possam jogar. É um jogo que trabalha o raciocínio lógico e a solução de problemas. Uma forma bacana de participar é discutir com seu filho os possíveis movimentos para a solução antes de começar a mover as peças. Faça perguntas, não dê respostas!

4. Torre de Hanoi: criado pelo matemático francês Édouard Lucas em 1883, esse quebra-cabeça consiste em uma base com três pinos e discos de diferentes diâmetros. O desafio é passar todos os discos de um pino para outro qualquer, de maneira que um disco maior nunca fique em cima de outro menor, em nenhum momento. A dificuldade do desafio depende do número de discos. Crianças a partir de 5 anos, podem resolver a torre com 3 ou 4 discos. Para crianças maiores inclua mais discos e peça para que expliquem o “algoritmo” que usaram na solução. Desafie-os a buscar a solução com o menor número de movimentos: para 3 discos são 7 movimentos, para 6 discos são 63 movimentos!

5. Pontos e Caixas: outro jogo criado pelo matemático Édouard Lucas. Este clássico jogo de “lápis e papel” utiliza um quadriculado de pontos em que cada jogador, alternadamente, liga dois pontos na horizontal ou na vertical. Sempre que fechar um quadrado (caixa), escreve sua inicial dentro da caixa. Ganha quem ao final tiver fechado o maior número de caixas. Segundo as regras, quem completa uma caixa ganha o direito de uma nova jogada. Isso faz com que o jogo ganhe uma dinâmica muito interessante, com incríveis reviravoltas.

 

5 Jogos que valem uma aula de matemática (1).png

Coleção Mousematics

Muitos pais nos pedem referências de livros para fazerem atividades em casa com seus filhos. Uma coleção que sempre indicamos é a "MouseMatics - Learning Math the Fun Way" para crianças de 4 a 8 anos. O que torna esses livros de atividades únicos é que buscam despertar o interesse das crianças pelo mundo da lógica e da matemática de uma forma diferente dos livros tradicionais.

A autora, Jane Kats, organiza círculos de matemática em diversos países e traz essa experiência na criação do material. As atividades são elaboradas evitando estereótipos comuns em livros de matemática: em alguns casos há mais de uma solução possível, ou não há solução, por exemplo.

Outra característica muito bacana desses livros é que apresentam problemas que vão além dos números e operações. Buscam desenvolver a capacidade de pensar de forma lógica: a habilidade de identificar atributos, de encontrar objetos idênticos ou apontar o diferente, classificar, ordenar, transformar, etc. É disso que esses "workbooks" tratam!

Essas atividades são oportunidades de passarmos bons momentos com nossos filhos, criando um ambiente em que a matemática é valorizada.

Uma dica importante é que devemos estar sempre juntos das crianças nessas atividades, mas sem dar respostas. Principalmente os pequenos, precisarão de explicações sobre o que deve ser feito. Podemos estimulá-los a superar os desafios fazendo perguntas que os levem a pensar. Uma regra de ouro da Roda de Matemática é: não dê respostas, faça perguntas!

MouseMatics.jpg

As aulas na Roda de Matemática

Este vídeo mostra um pouquinho do clima das nossas aulas na Roda de Matemática! Nossa proposta é apresentar problemas matemáticos "de verdade", de forma criativa e interessante. As crianças trabalham problemas abertos e discutem suas diferentes soluções. É assim que se aprende matemática de verdade: de forma ativa e colaborativa!